sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Uma reflexão acerca do Natal


Presépio - Michelangelo


Nesta época do ano, como num ritual, todos queremos fazer um balanço de nossas vidas, mesmo sabendo que nada faremos, que tudo continuará igual assim que o Natal e a passagem de um ano para o outro acontecer.

Agimos como se fôssemos instituição bancária, comércio ou empresa – paramos tudo e, mesmo incrédulos com os resultados negativos, comemoramos. Tudo isto é irônico demais!

Está certo que rituais de passagem façam parte de nossa história de vida - eles marcam o fim de uma época e o início de algo desconhecido, que ao mesmo tempo fascina e assusta.

Assim, por que não aproveitamos este momento e refletimos acerca do que fizemos, do que acrescentamos às nossas vidas e à vida de nossos semelhantes? Por que não lutamos para ver nossos sonhos e metas realizadas? Por que, ao invés de pararmos tudo o que estávamos fazendo – simplesmente por razões comerciais que nos levam a um estado de total alienação – não olhamos para dentro de nós mesmos e fazemos uma autoanálise, tentando descobrir, lá no íntimo de cada um, o que nos impediu de seguir em frente na busca de nossos ideais?
Talvez porque seja muito difícil olharmos para nosso espelho interno e aceitarmos que não progredimos, não evoluímos, deixamos que a vida passasse, simplesmente...

Dentro da tradição cristã, Natal é o dia em que se comemora o nascimento de Cristo. Como vivemos numa sociedade consumista, o verdadeiro espírito do Natal se perdeu e o que vemos hoje é uma corrida desenfreada à procura de presentes para serem trocados na véspera do aniversário de Cristo, como se fôssemos, nós, os aniversariantes.

E temos, assim, mais uma festa pagã, apesar do caráter religioso que a data encerra...

Termino esta reflexão desejando a todos um Natal iluminado. Que ele seja todo feito de coisas boas, recheado com muita saúde, paz, alegria e amor. E que todos os dias de suas vidas possam ser assim. Afinal, não devemos buscar a alegria somente num dia do ano.

Márcia Sanchez Luz

20 comentários:

  1. Prezada Márcia,

    Esta sua reflexão tem tudo a ver com o que penso. Já não sou muito afeito a datas marcadas, sabe? mormente quando as incongruências concernentes a elas têm mais peso do que os próprios motivos da celebração.

    Poucos são - como você bem disse - os que se lembram de Jesus nesta época: na realidade, o Natal transforma-se no aniversário do Comércio (pus com "c" maiúsculo a fim de caracterizá-lo como ente vivo, e faminto de receber, receber, receber).

    Que possamos enxergar, todos os dias de nossa vida, o milagre de estarmos vivos; que possamos ver, em cada passo dado, a vitória de estarmos tentando ser melhores como pessoa; e que saibamos viver o processo da busca pelo sucesso como o próprio sucesso alcançado.

    Um 2011 transbordante de coisas boas pra você e pra todos a quem ama!

    Abraço forte,
    Com admiração,
    Fabbio (Cortez)

    ResponderExcluir
  2. Certo, Márcia. Transformaram, há muito, o Natal em festa pagã, onde importante é o peru feito com esmero, a troca de presentes e o champanhe.
    Mas o pior é que não tem volta, cada dia o materialismo é maior, mesmo que inconsciente.
    Jesus é o Santo Profeta. Foi condenado por subversão. Garanto que hoje não seria diferente.

    Beijos,

    Jorge

    ResponderExcluir
  3. João Coelho Santos18 de dezembro de 2010 12:35

    Felicito Márcia por sua profunda e humana reflexão, com a qual comungo.

    Que Deus a abençoe!

    Bji do João

    ResponderExcluir
  4. Não é por acaso que todos que a conhecemos somos muito orgulhosos de sua existência...
    Mais dádiva essencial que aleatório encontro, nos diz, delicadamente como é de sua forma de ser, que outros podem ser os caminhos desta passagem; bastam amor e fé.
    Obrigado por suas palavras, Márcia.

    ResponderExcluir
  5. Márcia querida,
    Concordo plenamente com sua mensagem e esperamos realmente que possamos ter o verdadeiro espírito de natal.

    Parabéns à você, aos seus textos maravilhosos e à sua mensagem lindíssima.

    Um feliz natal, amiga.
    Beijos
    Vânia

    ResponderExcluir
  6. Cara amiga Márcia permita-me humildemente dizer que sua reflexão é perfeita. E para mim o natal deveria ser vivido todos os dias do ano. Grande abraço nesse natal. E que em 2011 tenhamos 365 dias de paz e de amor.

    ResponderExcluir
  7. Marcia
    Sua reflexão, na simplicidade das linhas, tudo disse. Sds.
    MILTON MARTINS.

    ResponderExcluir
  8. Fico feliz, Márcia, pois vejo muitas pessoas questionando o desvirtuamento do Natal. Já tenho amigos que não trocam mais presentes, mas se visitam para se darem um abraço e conversar, já que a cidade come todo o nosso tempo. Então, damos um pouco de nosso tempo uns aos outros. Um grupo de estudos resolveu dar o dinheiro do amigo secreto a uma creche, e conseguiram comprar uma mesa de ping pong pra criançada. Bem melhor, você não acha?

    ResponderExcluir
  9. ola. estive por aqui. legal. apareça por la. abraços.

    ResponderExcluir
  10. querida amiga!!! Obrigada pelo carinho!!! desejo para você e os seus o melhor Natal o melhor Ano, o melhor de tudo. E que para o próximo ano continuemos juntas, unindo forças para um "mundo melhor".
    FELIZ NATAL...FELIZ ANO NOVO DA PAZ.
    beijos
    Mara Bombo

    ResponderExcluir
  11. É perfeita a sua reflexão. Nada há que se acrescentar. Infelizmente quem mais precisa ler coisas assim "está em casa contando seu vil metal". Viemos numa época de individualismo, egoísmo , materialismo ( e tantos outros ismos) e nos esquecemos da grande importância de celebrar a vida todos os dias.
    Beijos em seu coração desejando-lhe felizes natais durante todo ano que se aproxima.
    bjs, zê

    ResponderExcluir
  12. Palavras sábias, Márcia. A reflexão que você propõe é das mais verdadeiras. A natureza humana, contudo, parece andar na contra mão do bem.
    Meu desejo pra você e seus familiares e a todas as pessoas a quem ama é de um Natal de paz, mesmo que momentanea e um ano novo de muita saúde.
    Airo Zamoner
    ____________________

    ResponderExcluir
  13. Estimada y admirada amiga Márcia:
    Yo también os deseo, a ti y a tu familia, Feliz Navidad y un venturoso año 2011.
    Visité tu genial blog. ¡¡¡Maravillosos sus contenidos!!!
    Un fuerte abrazo fraterno y solidario,
    Carlos Benítez Villodres
    Málaga

    ResponderExcluir
  14. EVERI RUDINEI CARRARA20 de dezembro de 2010 23:21

    Sim,querida MÁRCIA, FELIZ NATAL PARA VOCE, SUA FAMÍLIA, AMIGOS E LEITORES!!!!!!!!!!

    ABRAÇOS
    EVERI RUDINEI CARRARA

    ResponderExcluir
  15. Querida Marcia: parabens pela reflexão natalina. Fico pensando nas suas boas palavras e desejo o mesmo: que a alegria seja uma constante em nossas vidas. Felicidades todos os dias, no ano novo e sempre. Bjos,
    Grauninha

    ResponderExcluir
  16. Depois do "mais uma festa pagã, apesar do caráter religioso que a data encerra", Márcia, vou dizer mais o quê?

    ResponderExcluir
  17. "Por que, ao invés de pararmos tudo o que estávamos fazendo – simplesmente por razões comerciais que nos levam a um estado de total alienação – não olhamos para dentro de nós mesmos e fazemos uma autoanálise, tentando descobrir, lá no íntimo de cada um, o que nos impediu de seguir em frente na busca de nossos ideais?
    Talvez porque seja muito difícil olharmos para nosso espelho interno e aceitarmos que não progredimos, não evoluímos.."

    Quando achamos isso de nós mesmos, projetamos para todos, é como não aceitar críticas, história formal desconhecida por falta de saber. Precisamos aprender um pouco mais do que nada sabemos para crescer, isso é evoluir, nunca apagar infantilmente ensinamentos, nessa conduta infantil ao extremo, não aceitar críticas, estamos totalmente despreparados para dizer alguma coisa, mas nunca é tarde para progredir...

    ResponderExcluir
  18. Se tenho um sonho eu o persigo /
    Se tenho um dia a mais eu o bendigo /
    De Jesus humano recolho /
    Os bons exemplos de conduta /
    Assim faço todo dia que vivo /
    toda hora que tenho é de luta /
    A minha estrada ainda escolho

    ResponderExcluir
  19. Márcia, estranho, o arrazoado apócrifo (e auto-analítico) do fundamentalista acima cuja convicção, de tão efêmera, o obriga à omissão do maior bem do bicho-gente: o próprio nome...
    Covarde? Talvez... Oportunista? Aparenta... Insano? Sem sombra de dúvidas...
    "Os que se ocultam nas sombras, e delas urdem, esses são o Anticristo"...
    Cristo surgia na Luz, de coração aberto e puro, não se ocultava nas catacumbas da dialética rasteira dos conspiradores clandestinos e canalhas, que o mataram...
    Não exclua o anêmico sofisma do fundamentalista clandestino, anônimo... Deixe-o aí, para registro dos meandros da estupidez humana, pois a diatribe mostra os caminhos das sombras e justifica quaisquer apostasias.
    O seu caminho, Márcia Sanchez, é de Luz! Até no nome!
    Nosso respeito, admiração e carinho.

    ResponderExcluir
  20. EXCELENTE, AMIGA, EXCELENTE... FELICIDADES NO ANO NOVO

    ResponderExcluir