segunda-feira, 14 de março de 2011

Poeta - soneto de Márcia Sanchez Luz



Imagem: Márcia Sanchez Luz



Sou da palavra a chama que descreve
e alisa e abraça as causas mais diversas.
Se for de outrem a dor que não prescreve,
faço-lhe minha amante mesmo em trevas.

Se acaso o sopro me lançar à verve
de uma cantiga envolta em densas névoas,
deixo a cadência se verter bem breve
e transformar em flor dores primevas.

Mas se no equívoco da fantasia
eu acordar de um sonho desvalido,
não vou chorar – conheço a ventania!

Sei que adiante a luz que outrora havia
vai ressurgir até no amor premido
por uma febre ardendo em demasia.


© Márcia Sanchez Luz

27 comentários:

  1. Parabéns Márcia,

    Por este teu dia, por estes versos que respiram, transpiram e exalam o doce aroma de ser poeta.

    Estivessem estes versos no começo da Criação, ao final daqueles seis dias em que Deus esbanjou poesia, Ele o incluiria em sua obra porque ficaria dito e proclamado, como de fato o foi: "E Deus viu que isto era bom".

    Que Ele te abençoe neste em em todos os dias de tua vida inspirando-te as palavras que comporão os versos de teus sonetos e outros poemas.

    Caminha

    ResponderExcluir
  2. Salve, Márcia.
    O soneto continua vivo em tuas mãos.
    Essa é uma boa nova no Dia da Poesia.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Então há o dia do poeta!
    A informação de certeza ainda estaria na área infinita da minha ignorância, não tivesse eu feito essa visita breve a seu Imaginário, Márcia.
    O dia deve merece celebraçã, é claro. Não se compreenderia a produção humana de arte e cultura sem poesia senão como lamentavelmente empobrecida, sem Homero, Virgílio, Camões, Shakespeare, Dante, e todos os etcéteras, que a lista felizmente é bem longa.
    Na grande galeria dos produtores de versos que aprecio, você sabe que está incluída.
    Feliz dia do Poeta, então e parabéns pelo dia e pelo soneto aqui apresentado ad hoc.
    Clap clap clap!

    ResponderExcluir
  4. Márcia, essa gente estranha e imprescindível para o mundo, mesmo sendo pouca lida ( ou talvez por isso mesmo), tem em você um porta-voz. Uma poeta, entretanto lida e musicada, fala por todos como todos gostariam de falar. Parabéns pra quem conhece a ventania e acredita na luz, nesses tempos duros para a humanidade.

    ResponderExcluir
  5. Sabe que declino de protocolos, dia disso ou daquilo. Para quem ama, todo dia é dia...
    A cumplicidade com a dor de outrem e transformada em flores, a coragem de enfrentar os vendavais e essa febre em demasia (nunca é suficiente...) têm um nome: poesia.
    Não por acaso você tem Luz (até) no nome e, assim, nos ilumina.
    Beijos, Márcia, e que a vida sempre lhe sorria.

    ResponderExcluir
  6. Mais um soneto que Márcia lança no mundo literário.
    Mais um soneto que só leio, e aprecio.

    Beijos,
    Jorge

    ResponderExcluir
  7. Até dos comentários gostei! :)
    [
    Versos nus n(um)o
    Dia Internacional da Poesia
    Francisco Coimbra
    ]

    SOR_RIR...

    teus são os versos que escrevo
    viajando das emoções ao mundo
    e de toda a gente a quem devo
    toda a partilha onde me fundo

    tenho uma alma nua e diáfana
    viajando no tempo a tempo de ir
    ao encontro do momento ufana
    faz da beleza este seu sorrir

    corpo vivo sem lhe dar valor
    desafio no silêncio nu diálogo
    onde todas as coisas do amor
    se deixam contagiar por algo

    14/03/11
    Muita poesia e Poesia sempre! Bjs

    ResponderExcluir
  8. Caminha, muito obrigada por suas palavras, que sei virem do fundo de seu coração generoso e que tanto me emocionam.
    Parabéns a você também - e ao seu poema "Mosaicos", repleto de belas imagens.

    Um abraço

    Márcia

    ResponderExcluir
  9. Sua presença, Urariano, é motivo de honra e prazer imensos. Estive em seu site e me deleitei com seus textos, em especial o da entrevista ao Marco Albertim - "A bruxaria da criação literária". Um show!
    Obrigada por seu carinho.

    Abraços

    Márcia

    ResponderExcluir
  10. João, hoje é o Dia Nacional da Poesia e do Poeta. Daqui a uma semana, no dia 21 de março, comemora-se o Dia Mundial da Poesia. Grata por sua presença, aqui registrada com tanta gentileza.

    Abraços

    Márcia

    ResponderExcluir
  11. Aracéli querida, acredito que quanto mais difíceis os tempos maior a necessidade de criação. Como disse em outra postagem, a palavra é arma poderosa...quem sabe não consigamos transformar esta realidade através da poesia!?
    Obrigada pelo carinho e generosidade de suas palavras. Fico muito feliz com sua presença.

    Beijos carinhosos

    Márcia

    ResponderExcluir
  12. Você tem toda razão, Caio. Se há amor, há celebração, a cada instante da vida. E quer coisa melhor que a poesia para reverenciar a existência, mesmo que doída e efêmera?
    Sou-lhe imensamente grata pelo carinho constante!

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  13. Obrigada, Jorge. Sua presença em muito me honra, amigo.

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  14. Feliz com sua presença, Francisco. Muita poesia pra você também!

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  15. Parabens Ma5rcia, querida,por mais um soneto vindo da alma para saudar o dia da poesia. Bjos de luz, Grauninha

    ResponderExcluir
  16. Grauninha querida, que bom te ver por aqui! Que todos os dias possam ser Dias da Poesia!
    Obrigada e parabéns a você também.

    Beijos carinhosos

    Márcia

    ResponderExcluir
  17. Márcia,
    Seus sonetos têm uma marca. E me marcam muito. Obrigado.

    Um abraço.

    Carlos Figueiredo

    ResponderExcluir
  18. Maravilhoso!
    Esse Soneto denota toda a sua sensibilidade e talento.
    Agradecemos por compartilhar conosco.
    Nosso fraternal abraço.
    Rosana e Ezra Safra

    ResponderExcluir
  19. Sempre belas palavras, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  20. Poetas menores acreditam - tolamente - que soneto é coisa do passado. Afirmo, porém, que, em sua maioria, só quem sabe fazer - e bem - soneto, pode fazer bem qualquer tipo de poesia. Não me lembro de nenhum grande poeta que não tenha, pelo menos, se deliciado em fazer sonetos. E os seus, Marcia, são dos melhores. Obrigado por sua sensibilidade e destino poético. Já sou seu seguidor.
    Abraços do Tanussi Cardoso

    ResponderExcluir
  21. Tanussi, dia desses estava dizendo que há poetas que demonstram verdadeiro horror a sonetos, quando na verdade a boa poesia e suas diferentes manifestações são atemporais e de inestimável valor. Não há como resistir ao apelo de um soneto, nem que seja só para desafiar suas regras. De minha parte, adoro escrevê-los... Saiba que sua presença em muito me honra. É um prazer imenso receber tão valioso carinho literário!
    Também já estou como sua seguidora ;-)
    Sou eu quem agradece por sua sensibilidade, Poeta!

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  22. soneto impecável grande Marcinha!soneto perfeito e leve, pos-moderno e belo!

    ResponderExcluir
  23. Márcia querida,
    O blog está lindo, belas imagens coloridas ao fundo... e, você, todos os dias, é soneto, é poeta, é chama, é abraço, é amante, é cantiga, é cadência, é fantasia, é sonho, é ventania, é luz... E mais... Você, Márcia, é tudo de bom... Beijos, Leninha

    ResponderExcluir
  24. Parabéns, Márcia, pelos seus belíssimos sonetos. Lindo dia para voce!

    ResponderExcluir
  25. Obrigada, Rogel. Ganhei meu dia ao ler seu comentário ;-)
    Aproveitando o momento, quero lhe agradecer por ter postado minha tradução de "A morte dos Pobres" em "Livros Online" - um espaço maravilhoso, por sinal. Parabéns! Já o coloquei na lista dos blogs que sigo, tanto no Márcia Sanchez Luz quanto aqui.

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  26. Leninha querida, cliquei em seu link, toda feliz, achando que você tinha finalmente criado um blog... Cadê que não encontro? ;-))
    Obrigada por ter vindo me prestigiar. Estava com muitas saudades de você.

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  27. Shirley, fico feliz com sua presença e grata por suas palavras.
    Seja bem-vinda!
    Tenha um ótimo dia também!

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir