quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Vida


Imagem do Google


Se digo que pra tudo há recomeço
e que a tristeza um dia se desfaz,
é porque o inverno, triste cinza-espesso,
a luz da primavera em si já traz.

Se calo-me e da dor não me despeço
e não censuro o sonho (que é fugaz),
é porque guardo a noite em mim, confesso,
pois nela eu sinto que sou mais capaz.

Fico em silêncio em meio aos meus segredos
enquanto a lua se despede aos poucos
e dá lugar ao sol e seus enredos.

Pairam no ar sementes de verão!
E verdejantes são as suas folhas,
valentes como o dom da floração!


© Márcia Sanchez Luz

36 comentários:

  1. Márcia, como sempre, seus sonetos fazem a ponte entre o antigo e o novo: seu o dom da renovação. parabéns. Pedro.

    ResponderExcluir
  2. Márcia,
    lindo, maravilhoso e pungente como é a vida. Você não guarda somente a noite, mas a arte de escrever e emocionar como o sol e seus enredos. Parabéns! Bravo!!!!
    Mauro Lúcio de Paula

    ResponderExcluir
  3. Márcia brinda-nos com mais um soneto expressivo. Eu o julgo trabalhado devagar, com cautela e bom gosto. É sempre assim.
    Beijos, poeta.

    ResponderExcluir
  4. Há poetas e Poetas! Só os poetas maiúsculos como Márcia podem se dar o direito de usar a segunda grafia. Márcia supera-se a cada novo verso, a cada nova estrofe, a cada novo soneto! Eu fico cá dentro de minhas noites sem luar, aplaudindo e marejando os olhos diante destes versos
    "...é porque guardo a noite em mim, confesso,
    pois nela eu sinto que sou mais capaz".
    Um beijo carinhoso Márcia!
    Airo Zamoner

    ResponderExcluir
  5. Soneto perfeito, com a forma classica sem atrapalhar belo ritmo da combinaçao de palavras e os sentidos mais profundos. Parabéns, querida amiga!
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Belissimo soneto, Márcia.

    Tua poesia faz dos grilhões que encarceram o soneto, parecerem efêmeros cordões que o cantar dos versos vão rompendo um a um libertando a mensagem viva e irrequieta.

    Que Deus te abençoe,

    Caminha

    ResponderExcluir
  7. Há uma atmosfera de leveza e sensibilidade pairando pelos teus versos de agora, Márcia! Belos, delicados e renovados signos poéticos!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. "Se calo-me e da dor não me despeço
    e não censuro o sonho (que é fugaz),
    é porque guardo a noite em mim, confesso,
    pois nela eu sinto que sou mais capaz."

    Quanta beleza, leveza e pura poesia, Márcia. Seus Sonetos são um deleite. Parabéns!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Pedro, agradeço o carinho de sua presença e de seu comentário, sempre tão bem-vindos!

    Um abraço

    Márcia

    ResponderExcluir
  10. Mauro, você é sempre tão intenso em seus comentários! Obrigada pelo carinho constante de suas palavras, que muito me emocionam.

    Um grande abraço,

    Márcia

    ResponderExcluir
  11. Obrigada pelo carinho constante de suas palavras, Jorge! É sempre muito gratificante o retorno que tenho ao postar meus poemas.

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  12. Airo, você bem sabe o quanto me emociono com suas palavras!
    Obrigada pelo carinho de sua presença.

    Um beijo em seu coração

    Márcia

    ResponderExcluir
  13. Tania querida, que bom te ver por aqui! Obrigada pelo carinho.

    Beijos carinhosos

    Márcia

    ResponderExcluir
  14. Caminha, a alegria de te ver aqui é muito grande. Gratíssima pela generosidade de suas palavras!

    Um abraço e fique com Deus!

    Márcia

    ResponderExcluir
  15. Obrigada, Fabrício. Saiba que fico muito feliz com sua presença aqui no blog.

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  16. Obrigada, Chris! Venha me visitar sempre que puder e quiser, pois será um prazer recebê-la.

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  17. Hino de louvor à vida, é impecável na forma e forte no conteúdo (como sempre). Um prazer (como sempre), compartilhar tuas palavras, ao receber tão singela mensagem de amor.
    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  18. Vida nos trazes tu Márcia a cada poema escrito. Parabéns a essa poetisa dos sonetos perfeitos.

    ResponderExcluir
  19. Caio, o prazer é todo meu em recebê-lo aqui com esta mensagem repleta de generosidade e carinho.
    Obrigada. Volte sempre, amigo!

    Um forte abraço

    Márcia

    ResponderExcluir
  20. Antonio, sua presença sempre me alegra em demasia.
    Obrigada pelo carinho das palavras!

    Um forte abraço e feliz Dia dos Pais!

    Márcia

    ResponderExcluir
  21. SEU POEMA COMO SEMPRE CLÁSSICO, COMO UM TEXTO QUE PERENE SE IMPOE À VIDA DOS POEMAS, MUITO VERDE, MUITA DENSIDADE, MUITA LUZ, MUITA MARCIA LUZ!

    ResponderExcluir
  22. Rogel, querido amigo, obrigada pela visita e pelo carinho com que trata meus poemas.
    Estava sentindo sua falta nesta postagem...

    Beijos, com carinho

    Márcia

    ResponderExcluir
  23. Márcia,
    Lindo este soneto.
    A vida e as estações do ano se confundem.
    Meus parabéns.
    Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  24. Oi Márcia!

    Aqui, conhecendo o seu outro espaço... tão lindo quanto o primeiro que fui.

    Um soneto maravilhoso este. Parabéns! Conseguiu unir forma e sentimento, lindamente.

    Beijos
    Patrícia Lara

    ResponderExcluir
  25. Arimatéia, muito obrigada pelo carinho deixado aqui. Os comentários acabam se agregando ao poema e enriquecendo a arte poética.

    Um grande e terno abraço

    Márcia

    ResponderExcluir
  26. Patrícia, que bom vê-la aqui!
    Obrigada pelo carinho da visita e de suas palavras. Venha sempre que puder e quiser.

    Beijos, com carinho

    Márcia

    ResponderExcluir
  27. Querida Marcia, irmã das letras: pairam no ar sementes de encantamento de sua poesia. Em tempo, parabens. Seu blog está entre os 100 mais lidos na categoria cultura. O meu também. Bjos, Grauninha

    ResponderExcluir
  28. Grauninha, você é uma pessoa muito querida, viu? Obrigada pelo carinho.
    Parabéns a você também!

    Beijos em seu coração

    Márcia

    ResponderExcluir
  29. NO IMAGINÁRIO VIDA É RECOMEÇO, É POESIA, E SUCESSO, E LUZ, MUITA LUZ, DE MARCIA SANCHEZ LUZ... VOLTEI, POIS RECOMEÇO...

    ResponderExcluir
  30. Márcia, mesmo estando viajando, venho ler este belíssimo Soneto seu.
    Como tem sido gratificante neste tempo que lhe conheci, sentir todo seu caminhar glorioso, tenho certeza, a cada dia sua pessoa somente vai galgar outros tantos caminhos , saudosamente,
    Efigênia Coutinho

    ps:Abre este link, pois estamos em festa na nossa AVSPE
    http://efigeniacoutinhoamigospoetas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  31. Marcia querida....

    Um privilégio aqui estar, e ler tua intensidade em cada verso!!!
    Aplausos todos!!!
    Beijo carinhoso
    Bea

    ResponderExcluir
  32. Querida Márcia!
    Parabéns por mais esse magnifíco tributo ao dom de renovação da alma e dos sentimentos!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  33. Lindo, os poemas são uma paz em nosso coração...ídéia de poder continuar vivendo...

    ResponderExcluir
  34. Dalton, obrigada por suas palavras. O que seria de nós se não renovássemos nossa alma? A vida pareceria tão sem sentido, não é mesmo?

    Beijos

    Márcia

    ResponderExcluir
  35. Lisette, fico feliz em saber que meu soneto tocou seu coração.
    Fui ao seu blog e meu coração ficou apertado demais pela emoção que você imprime e por ver uma mãe tão forte e cheia de garra.
    Obrigada por seu carinho!

    Beijos em seu coração tão lindo!

    Márcia

    ResponderExcluir